Análise do Discurso de Guerra Santa

“Tolerância não representa um cheque em branco para o charlatanismo”[Paráfrase], Gil .

A música Guerra Santa faz parte do álbum Quanta, lançado em 1997 pela gravadora e publicadora Warner Music. O conteúdo do disco está focado em arte, ciência e religião, e por vezes pretende estabelecer pontos de encontro e diálogos entre esses temas.

Muito bem recebido pela crítica especializada, conta também com a apreciação positiva do importante físico brasileiro Cesar Lattes, o qual, mediante carta aberta, afirmou: “Posso dizer que gostei muito, assim como já havia apreciado toda a obra de Gilberto Gil que chegou ao meu conhecimento”.

O contexto histórico da canção está permeado pelos contrapontos públicos entre o neo-pentecostalismo, à época emergente, e a tradição católica, o que fica evidente na observação do trecho “ele chuta a imagem da santa, fica louco-pinel / mas não rasga dinheiro, não”. A letra faz menção à atitude do então bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Von Helde, quando este chutou a estátua de Nossa Senhora Aparecida, no dia em que era comemorada como padroeira do Brasil (1994). Antes disso, o líder da Igreja, bispo Edir Macedo, já havia sido preso por charlatanismo e estelionato (1992), e sofria com várias denúncias feitas pela mídia. O fato se estendeu por toda a década de 90.

Tecnicamente, a música de Gil se enquadra no discurso de tipo polêmico. Encontra-se relativamente aberta à polissemia, porque, embora haja a possibilidade de mais de um sentido para os enunciados, a multiplicidade é controlada pelo autor. Desta forma cria-se uma certa  interação entre os interlocutores, abrindo espaço para a persuasão: o enunciado está em disputa, e um discurso (naturalmente o do autor) quererá prevalecer sobre o outro, ainda que sutilmente.

Em Guerra Santa, conquanto se defenda a abertura para a tolerância, vide: “só que o bom barraqueiro que quer vender seu peixe em paz / deixa o outro vender limões”, advoga-se que ela só é possível no confronto aos “salvadores profissionais [e] sua feira de ilusões”, que reproduzem agora algo parecido com o que sofreram em “São Bartolomeu”, e se aproveitam das crenças dos fieis para enriquecerem.

Parece que, segundo Gil, tolerância não representa um cheque em branco para o charlatanismo (“Papa da inquisição”). Ele ainda generaliza a questão quando diz: “aliás em matéria de vender paz, amor e axé / ele não está sozinho não”, sinal de que até então referia-se exclusivamente à figura do pastor neo-pentecostal, estendendo a partir daqui a problemática para as religiões de maneira geral.

O texto, grosso modo, é uma crítica ao que o professor Ferreira chamou de “religiões de resultado”*, quais se caracterizam por transformar a relação entre Deus e fiel numa sociedade praticamente comercial. Por isso Gil provoca: “promete a mansão no paraíso contanto, que você pague primeiro”. Em relação à verdade religiosa, argumenta contra a proposta de uma verdade única, pois poetiza: “o nome de Deus pode ser Oxalá Jeová, Tupã, Jesus, Maomé / Maomé, Jesus, Tupã, Jeová / Oxalá e tantos mais / sons diferentes, sim, para sonhos iguais”.

Seu discurso visa fragilizar qualquer interesse proselitista. Pressupõe que todos os religiosos comungam de um mesmo sonho, apesar das diferentes terminologias, símbolos e linguagens. Por fim supõe que o Deus de certos setores neo-pentecostais não está incluído na ideia de diálogo inter-religioso, pois é um embuste: argumentação expressiva, mas não necessariamente autoritária.


*FERREIRA, Muniz Gonçalves Apud SOUZA, Cleinton R. P. Uma teoria do Direito para a demanda pentecostal. 09/10/2009. Revista Sociologia Jurídica. N. 08 – Janeiro-Junho/2009.

ede0755338e6a4e41de86c09614db4f9_decorative-underline-clipart-clipartfest-drawing-art-_370-370

WhatsApp Image 2018-11-06 at 15.14.36

Fábio Coronel, professor e músico iludido. Idealizador do projeto Autonomia EaD | Divulgação Filosófica.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s